22 de novembro de 2011

a minha cabeça está cheia.

é como se eu nunca te tivesse conhecido. somos ambos estranhos, outra vez. não me aceites de volta. não deias esse riso como quem não acredita. sabes que mais? nasci sem ti, por isso posso muito bem continuar a minha vida sem ti. espero que esta "nova vida" me traga tudo que quis e que tu não deste. alguém que sabe o que quer, alguém que se eu pergunto por um abraço reponde-me com um, alguém realmente feliz para compensar a minha falta de alegria, alguém que me faça sorrir e que me faça esquecer o meu passado. alguém que simplesmente faça as minhas dores de cabeça acabarem. há tantas coisas na minha cabeça neste momento. e eu estou ocupada a analisar tudo, tudinho. a pensar nas consequências e nas vantagens. tudo precisa de ser analisado a pente-fino. mas no fim, acabo sempre por fazer a decisão errada. burra. e tu foste a maior. pronto, disse. olha, só espero que saibas tudo que fiz por ti, que te lembres de todos os sorrisos que me provocaste, de todos os abraços que me deste, e que um dia penses em nós, e sorrias. nem que seja um pequenino, que seja só verdadeiro. obrigada a ti por me fazeres perceber que os filmes da disney são longe de ser verdade. obrigada por me fechares ainda mais. por me fazeres ainda mais sombria do que antes era. estou farta de passar para segundo plano! estou farta das pessoas que não dão valor às coisas que faço por elas. não eras apenas um amigo sabes? melhoramigo, era a palavra. assim mesmo sem espaços, para as mentiras não entrarem, dizias tu. não fez diferença, pois não? pois. como queiras, sê feliz com a tua nova amiga. é tudo que te desejo. adeus.
ele: « estou aqui. vou estar sempre aqui. »
eu: « mentiroso. »

Sem comentários: