27 de dezembro de 2011

'vale, vale' sussurrou o coração.

será que vale a pena? não, não vale. todas as vezes que ele te ignorou, valem a pena pelas vezes que te fez sorrir? chega de ser ingénua. chega de levar com tudo. sabes, nem tudo é tua culpa. e ele? ha, ele tem mais onde ir. ele tem mais ombros onde chorar quando ela tiver feito das delas. não tens de aguentar com tudo, não tens de ouvir as lamurias dele. ele devia dar graças a Deus por te ter sempre com ele. ele não sabe o quanto dói. e não é justo para ti. deixa-o. o quê? deixa-o! não perguntes 'o quê?' como se não fosse previsível. deixa-o. simplesmente, deixa de ser o saco de batatas que toda a gente deixa no meio da porcaria. e ele...? ele que engula o orgulho e perceba que tu estiveste sempre lá e se tem de agradecer a alguém, é a ti. e que te peça desculpa. por todos os momentos que se chateou por nenhum motivo existente, por todos os momentos que disse que não te queria ao pé dele. por todos os momentos em que agiu mal contigo. e agora, agora que pensamos em tudo que ele te fez passar, nos passos mal dados que deu, ainda vale a pena? com senceridade, vale?

Sem comentários: